sexta-feira, 5 de julho de 2019

Vocalista do Slade abre loja de discos



A mais nova loja de discos da Inglaterra é de um roqueiro. O vocalista da banda Slade, Noddy Holder, 73 anos, abriu uma loja de discos em Walsall, cidade britânica de aproximadamente 70 mil habitantes.
A Rewind Records (foto) tem discos de vinil, memorabília e acessórios. E foi divulgada como sendo “dementia friendly”, focada nas pessoas que tem a doença. Holder é fã de discos de vinil e colecionador. Inclusive colocou algumas de suas raridades no acervo da loja.
O Slade foi formado em 1966 em Walsall e é uma das mais bem sucedidas bandas britânicas. A banda seguiu tocando até meados da década de 1980 e no começo da década de 1990 foi feita outra formação sem os membros originais.
Com informaões traduzidas e foto do Express & Star

quinta-feira, 13 de junho de 2019

Creedence CR terá show histórico em vinil



Será lançada pela primeira vez em disco de vinil a apresentação da banda Creedence Clearwater Revival no festival Woodstock em 1969.
A edição especial pela Craft Records sairá no começo de agosto. “Live at Woodstock” será um disco duplo com capa gatefold, com 11músicas, incluindo sucessos da banda e outras músicas que ficaram famosas na época justamente pelo festival.


* Com informações e foto da Craft Rec

Clube do Vinil apresenta lançamentos no Mercadão



O Clube do Vinil de Maringá (CVM) além de ser um dos eventos de colecionismo mais regulares do Paraná, também se destaca por apresentar lançamentos do mercado fonográfico.
A 39ª edição que acontecerá no próximo sábado (15), no Mercadão de Maringá, terá boas opções que acabaram de sair dos selos, gravadores e fábricas. Incluindo edições limitadas do Record Store Day lançadas na Europa e Estados Unidos.
Como a parte dos fundos do Mercadão onde sempre ficamos está em obras, dessa vez estaremos num espaço diferente. O nosso evento estará no corredor central, onde era o Da Fruta ao Doce (parede com fundo amarelo). 

Confira alguns dos discos que estarão disponíveis entre os expositores:
- Cramberries – In the end
- Black Sabbath – Fire In The Sky
- Pinheads – Hand in head (7”)
- Pitty - Matriz
- U2 – The Europa EP (Record Store Day 2019)
- O Lendário Chucrobillyman – Pilarzinho Rough Ballads
- Dead Fish – Ponto cego
- Lula Cortes – Rosa de Sangue (reedição)
- Gorillaz – The now now
- Blind Guardian – Somewhere Far Beyond (reedição)
- Candeia – Samba da antiga
- Asteróides Trio - Punkabilly

Além de outros que não são tão recentes, mas que não estão disponíveis na região: Alice in Chains – “Reiner frog”; Korzus – “Ties of blood” (reedição); Breeders – “All nerve”; David Bowie – “Ziggy Stardust” (reedição).
E para quem não curte comprar títulos novos, tem discos baratos a partir de R$ 5. Também é uma opção o bazar cultural com vitrolas, roupas, camisetas de bandas, filmes e series, acessórios, bottons, decoração, artesanato, entre outros.
A Feira do CVM é num ambiente familiar do Mercadão que tem varias opções de gastronomia e bares com cerveja artesanal ficando abertos até o começo da madrugada. Confira fotos da edição de maio da Feira do CVM no Mercadão.

A Feira do CVM tem entrada gratuita e será entre 10h e 19h. Leve seus discos para trocar conosco!!!






sexta-feira, 7 de junho de 2019

As independentes precisam se organizar



Independente da situação econômica do Brasil ainda estar patinando, sofrível, o mercado fonográfico brasileiro está aquecido. Há lançamentos constantes de artistas brasileiros seja de rock, MPB, RAP, entre outros.


Mas os selos independentes carecem de maior organização e planejamento. Ainda apontado como caro – no embalo da desvalorização do Real – o disco também é lançado sem considerar uma política de acordo com o mercado nacional.
Com isso há diversos lançamentos em edições duplas, justamente num momento que não há dinheiro sobrando nos bolsos dos colecionadores para comprar discos mais caros.

Outro problema é quando a banda lança o disco por conta própria e não considera preço para varejo e atacado. Já aconteceu de uma banda vender seu disco por R$ 80 por conta própria para o público e por R$ 70 no atacado para lojistas. O que inviabiliza a compra para revenda por lojistas. Porque além de ser uma media de custo alto, a pouca diferença entre atacado e varejo faz com que lojista tenha dificuldade e os discos demorem mais para venderem.

Também já teve selo independente exigindo compra mínima de dez cópias e com pagamento à vista. O que nem gravadoras maiores exigem, geralmente.

Sem contar aquelas “parcerias” tipo o selo ganha tudo e a banda/artista fica pela divulgação. Há “contratos” onde a banda ganha 20% da tiragem dos discos como sua parte no lançamento.
Sem uma política e organização dos custos e preços de vendas, ainda haverá dificuldades para todos os envolvidos: selos, gravadoras, lojistas e colecionadores.

terça-feira, 21 de maio de 2019

Colecionador arremata caixa em feira de discos



Essa entrará para as lendas das feiras de discos. O colecionador Nabil Badwan (à esquerda na foto), de Ponta Grossa (PR), arrematou uma caixa com discos na segunda feira Vinyl Club, realizada na Frederico Cervejas, em Ponta Grossa, no último sábado (18).

O curioso é que ele fez a oferta independente de quais LPs estavam na caixa. Foram aproximadamente 140 discos por R$ 1,4 mil. O colecionador fez a oferta, o expositor Werkley Silva (à direita), de Curitiba, pensou e aceitou em seguida. Nabil Badwan pagou e levou os discos com a caixa.
Havia discos de rock e pop, sendo alguns mais caros que a media paga. Porém, também havia outros baratos que dificilmente são vendidos  nas feiras.  

Essa não foi a primeira fez que o colecionador fez a compra incomum. Ele comentou que já havia feito outra compra assim em Chapecó (SC).
Foto: Andye Iore

sexta-feira, 10 de maio de 2019

A criatividade no design dos discos


Uma diferença bacana que existe hoje em relação ao mercado fonográfico tradicional de décadas passadas é a grande variedade de edições especiais. Como discos coloridos, em formatos diferentes (os shaped vinyls), com efeito holográfico, com textura, com líquido, entre outros efeitos.


Antigamente era o enfadonho disco de vinil preto. Pouco se via um disco em outra cor. Mesmo sendo possível prensar um disco colorido. Por outro lado, havia capas mais criativas. O que hoje, mesmo com a valorização do profissional de designer, a criatividade está focada na tecnologia para o disco. Um dos destaques mais recentes nem é tão diferente. Mas o disco de 3” já atraiu a curiosidade dos colecionadores pelo tamanho pequeno.

E isso já vem com os discursos bobos dos colecionadores sobre a qualidade do áudio. Que disco de 180 gramas é melhor, que disco importado tem mais qualidade, entre outras bobagens. Se você não tiver um aparelho sofisticado, com caixas de som daquelas caríssimas, ouvirá o mesmo som que o colecionador que tem a folclórica “caixa de abelha” com a caixa de som na tampa da vitrolinha. Disco é disco! Coloque no prato da vitrola e curta. Seja ele cheio de tecnologia de design ou o simples bolachão preto.
Texto: Andye Iore / Imagens: Divulgação

sábado, 6 de abril de 2019

RSD tem reedições e exclusividades em 3"



Na próxima semana, dia 13, acontecerá a edição 2019 do Record Store Day. É a celebração das lojas de discos em todo o mundo, quando os selos e gravadoras lançam discos exclusivos em tiragens limitadas. Inclusive vários títulos em mini-discos de 3". 

O Record Store Day começou em 2007 e hoje é realizado em vários países. No Brasil não há evento oficial, mas lojas e feiras usam o evento para valorizar os colecionadores e as lojas. O Clube do Vinil de Maringá faz há cinco anos uma edição em abril da feira de discos para acompanhar a data. Na próxima semana terá a 37ª Feira do CVM, dentro do II Autmun Beer Festival, no Mercadão de Maringá.

O Clube do Vinil de Maringá listou 25 discos de destaque entre tantos títulos bacanas que estarão nas lojas gringas  no Record Store Day 2019:
- Stiv Bators - No Compromises No Regrets
- The Psychedelic Sounds of the 13th Floor Elevators
- Bad Religion - My Sanity   – 3”
- David Bowie / Marlene Dietrich - Revolutionary Songs – 7”
- Grateful Dead - The Warfield 1980 – duplo
- Green Day - Woodstock 1994
- Greta Van Fleet - From The Fires        
- Robert Johnson - Kind Hearted Woman – 10”
- Morrissey – Love To Be -7”
- Motorhead - Overkill/Bomber – 7” duplo
- Mumford & Sons - Delta Acoustic – 10” picture
- Pearl Jam - Live At Easy Street
- Lee Perry - Rootz Reggae Dub – duplo
- Iggy Pop - Hippodrome Paris 1977 – duplo
- Queen - Bohemian Rhapsody - picture Disc
- Ramones - Live at the Palladium
- Rancid - Ruby Soho – 3”
- Rolling Stones - She’s A Rainbow Live – 10”
- The Skatalites - Greetings from Skamania  
- Joe Strummer - The Rockfield Studio Tracks
- U2 - The Europa EP
- Teal Album – Weezer
- Jack White - Love Interruption – 3”
- Link Wray - Vernon's Diamond – 7”
- X-Ray Spex - I Am A Cliché – duplo

quinta-feira, 21 de março de 2019

Vinyl Club faz segunda edição da feira em Ponta Grossa



Já está confirmada para o dia 18 de maio, sábado, a segunda edição da Feira do Vinyl Club, em Ponta Grossa (a aproximadamente 330km de Maringá). E a parceria com a Frederico - Cervejas & Cervejas será repetida já que deu muito certa na primeira edição em fevereiro passado (fotos).

O evento reuniu colecionadores do Paraná e teve discotecagem com discos de vinil e ainda um cardápio variado de gastronomia e diversas torneiras com cervejas artesanais. Com preços justos e num espaço bem bacana!
O Clube do Vinil de Maringá já confirmou participação na segunda edição.




Fotos: Andye Iore

quarta-feira, 20 de março de 2019

Prepare para aumentar sua coleção



Mesmo com a intensa movimentação no mercado fonográfico em cima do vinil nos últimos dois anos – e com as vendas crescentes – ainda tem quem duvide que o mercado está quase regular como era antes da chegada do CD. É comum pessoas chegarem nas feiras de discos e lojas e perguntarem se “a onda do vinil vai passar” ou “se o vinil voltou mesmo?”.

A internet informa, mas também deixa as pessoas alienadas. Mesmo com o grande volume de informações disponíveis, há quem ainda não acompanhe o que acontece. Já publicamos aqui e sempre falamos nas entrevistas que “o vinil não voltou...” porque ele nunca acabou.

Atualmente o mercado fonográfico brasileiro está bem aquecido.  São frequentes os lançamentos de MPB, rock nacional e RAP. Alguns selos também já praticam preços um pouco mais baratos que os do ano passado.

E a tendência é que haja mais lançamentos e aos poucos o custo vá diminuindo. A fábrica paulistana Vinil Brasil já fez promoções de 7” e 12” recentemente. Vale os artistas ficarem de olho na fábrica e os colecionadores nas lojas e feiras de discos que estão repletas de lançamentos. Quem vai na feira do Clube do Vinil de Maringá já sabe disso !!! 

Na foto acima o bom movimento na edição do último sábado (16) no Mercadão de Maringá. vale ressaltar que sempre focamos na formação de público, no aspecto cutural e do colecionismo. Ao contrário de feiras que só se preocupam com as vendas, tem discos danificados e não tem atendimento especializado,com informações aos frequentadores. 
Por isso a identificação com tantas pessoas que são assíduas no Clube do Vinil de Maringá. O que acaba formando novas amizades pelo colecionismo. 

quinta-feira, 14 de março de 2019

Mercadão recebe 36a Feira de Discos do CVM

O Clube do Vinil de Maringá (CVM) realiza sua 36a edição da Feira de Discos e Bazar Cultural no próximo sábado (16). O evento será no Mercadão de Maringá, na avenida Prudente de Morais, 601, centro, entre 10h e 19h, com apoio do jornal O Diário e entrada gratuita.
A feira cultural apresenta discos de vinil, CDs, DVDs, camisetas, artesanato, acessórios, entre outros. Na parte de discos há lançamentos de gravadores e selos nacionais de MPB, rock e RAP. E também compra, venda e troca de discos usados em bom estado de conservação.

É oportunidade de conferir as novidades do mercado fonográfico que além dos discos também já oferece vitrolas, agulhas, mobília e acessórios. Nos dois últimos anos artistas brasileiros focaram seus lançamentos em discos de vinil. Sendo que Chico Buarque, Cólera, Joantan Doll, Céu, Autoramas, Zé Ramalho, Curumin, Mano Brown, Gilberto Gil, BNegão, entre outros lançaram suas novidades ou tiveram títulos relançados no bolachão. E vem muito mais em breve.

Entre os expositores do bazar cultural está o Acumulador Arteiro com peças de assemblage. A técnica francesa de arte mistura métodos diferentes como colagem e montagem para gerar obras tridimensionais. O expositor apresentará peças relacionadas à música, incluindo referências do colecionismo de vinil. Entre os destaques estão corpos de violões recortados e montados com objetos diferentes.

Também participam a Omisso Records, Ruffians Records, O Porão Discos, VideoColor, Colecionismo & Cia, Zombilly, DiBowie Store, Obituary Atelie, Rustiká, entre outros.

CULTURA - O CVM foi criado em 2014 e é um dos mais tradicionais e períódicos eventos de colecionismo do Paraná. O foco do grupo é em eventos culturais gratuitos reunindo diferentes segmentos artísticos. No próximo mês já está agendado o Record Store Day em parceria com Autumn Beer Festival, da Holy Hops, no Mercadão. 
As fotos dessa reportagem são da 35a Feira realziada em janeiro passado no Mercadão.



sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

Gerência da Juventude participa da mobilização do rock



A Gerência da Juventude de Maringá participou na última terça-feira (19) da Conferência Estadual do Rock. O evento foi realizado no auditório Hélio Moreira, no Paço Municipal de Maringá, e contou com a participação de músicos, agentes culturais, clubes culturais e de serviços, professores, entre outros. “Foi um evento importante para fomentar mais um segmento da cultura na cidade”, comenta o gerente da Juventude de Maringá, Adriano Bacurau (foto acima). “Estaremos ativos participando desse projeto e também vamos resgatar o projeto Rock na Praça em breve”.
O próximo evento da Gerência da Juventude é entre hoje e domingo (22 e 24), no Mercadão de Maringá. É a exposição das Geladotecas que apresenta 26 geladeiras que funcionam como bibliotecas, com um acervo aproximado de 800 livros.
O bacana é que o projeto tem uma metalinguagem. Além da literatura, também apresenta artistas maringaenses que grafitaram as geladeiras. O Mercadão fica na avenida Prudente de Morais, 601, em frente ao estádio Willie Davds. A entrada é gratuita.

Fotos: Andye Iore

terça-feira, 19 de fevereiro de 2019



Será realizada no dia 8 de março, sexta-feira, a segunda edição do Bazar Aimec, na escola de DJs 4Beat – Aimec Maringá. O evento reúne disc jockeys e colecionadores de discos de vinil na sede da escola, na aveida São Paulo, 1086, em frente ao shopping Maringá Park, entre 10h e 19h, com entrada gratuita.

A segunda edição terá uma parceria com o Clube do Vinil de Maringá (CVM), com os dois grupos trocando divulgação e material em seus respectivos eventos. E também contará com a participação do DJ Raul Aguilera que já tocou em badalados clubes de música eletrônica e já morou em Maringá. O evento terá material de música eletrônica, RAP,  black music e pop, com  compra, venda e troca e também discotecagens dos participantes. Haverá transmissão pela internet. 
A Academia Internacional de Música Eletrônica (Aimec) é uma rede de escola de DJs com oito unidades no Brasil e uma em Portugal.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

Colecionadores se reúnem em cervejaria em Ponta Grossa



Um novo evento começa em Ponta Grossa (PR) amanhã (15). Será a primeira edição da Feira do Vinyl Club, reunindo dez colecionadores de discos do Paraná. Terá ainda discotecagem com discos de vinil, gastronomia e cervejas artesanais, destacando parceria coma Bodeborwn.
O evento será na Frederico - Cervejas & Cervejas, na avenida Ernesto Vilela, 404, entre 11h e 20h, com entrada gratuita. O Clube do Vinil de Maringá participará da Feira Vinyl Club.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

Fábrica amplia produção de vinis



A fábrica de discos de vinil Furnace Record Pressing, em Alexandria, Virgínia (EUA), ampliou sua capacidade de produção com uma nova planta. E hoje é uma das principais fábricas americanas no segmento.
A Furnace Record foi inaugurada em 1996 pelo músico Eric Astor como um selo pequeno. E abriu em novembro do ano passado uma nova planta com oito presas com capacidade para fazer 11mil discos por dia.
Agora eles atendem bandas independentes em pequenas tiragens, como também grandes selos e gravadoras com foco no mercado comercial. Entre eles discos do Daft Punk, Metallica, Led Zeppelin, Beastie Boys, entre tantos outros.
Com informações de Washingtonian.com  / Foto: E vy Mages

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

Video mostra atual mercado fonográfico


O documentário “Vinil, Poeira e Grooves”, feito por Diego Casanova no ano passado, é um prato cheio para quem curte discos de vinil. O filme apresenta o atual mercado fonográfico brasileiro, com artistas, fábricas, selos, colecionadores, entre outros aspectos.